Pular para o conteúdo
Voltar

Despesas com pessoal e dívida com fornecedores superaram crescimento econômico em MT

Governador Mauro Mendes mostra números positivos da economia do Estado, mas que são superados por gastos, especialmente com folha de pagamento, acima de todos os indicadores econômicos.
Laice Souza | Secom MT

O crescimento da folha apenas do Executivo nesse período ultrapassou 705%. - Foto por: Foto por: Mayke Toscano | Secom/MT
O crescimento da folha apenas do Executivo nesse período ultrapassou 705%.
A | A

O que aconteceu em Mato Grosso nos últimos 15 anos, que levou o Estado a atrasar o salário dos servidores públicos e a ter uma dívida de R$ 3,6 bilhões? Essa análise foi feita pelo governador Mauro Mendes, durante a abertura do Fórum de Governo e Prefeituras, que ocorre até a tarde desta sexta-feira (05), na sede da Fatec/Senai, em Cuiabá.

Durante os últimos 15 anos, o Estado demonstrou um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) superior à média nacional. Em Mato Grosso, o crescimento registrado foi de 411%, sendo que no país o resultado chegou a apenas 297%.

Além disso, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) também registrou um resultado positivo no Estado. No acumulado dos últimos 15 anos foi marcado um crescimento de 331% na arrecadação.

Os números são muito positivos, contudo, o crescimento da despesa de pagamento com servidores públicos foi acima de todos esses indicadores. A folha total dos servidores públicos, seja do Executivo, do Judiciário, Legislativo, Tribunal de Contas, Defensoria Pública e Ministério Público, cresceu 678%, ou seja, mais que o dobro da arrecadação do ICMS. E se separar o crescimento da folha apenas do Executivo, o número é ainda maior, 705%. Nesse mesmo período, de 2003 a 2018, a inflação acumulada foi de 94%.

No balanço apresentado pelo governador, ele ponderou que, além do crescimento do custo da folha, o Governo registrou um aumento de 2.382% nos restos a pagar, ou seja, despesas contratadas e não pagas.

O reflexo de tudo isso é que hoje o Estado tem uma dívida com 11.424 fornecedores, também com prefeituras e Poderes, somando restos a pagar de R$ 3,575 bilhões. Esse desequilíbrio econômico também refletiu em todas as secretarias. Somente na Educação e Infraestrutura são 335 obras paralisadas. Ou seja, estradas precisando de manutenção e reparos e escolas em péssimas condições.

Balanço de governo

Mauro Mendes apresentou o balanço dos últimos 15 anos de gestão do Governo de Mato Grosso na tarde de quinta-feira (4). O evento está sendo realizado com o intuito de anunciar todas as ações desenvolvidas pela atual gestão que já permitiram a retomada dos investimentos. Na ocasião, o governador também autorizou a retomada de 114 obras, em 90 municípios do Estado, que irão movimentar quase R$ 1 bilhão.